4 dicas para estimular seu filho a estudar inglês todos os dias

Promover o desenvolvimento dos filhos é uma das maiores preocupações para um pai e uma mãe. Para isso, o estudo deve estar presente na rotina diária deles — o que não significa estar rodeados de livros. Há outras maneiras de inserir o inglês todos os dias na vida de cada um.

O aprendizado de uma outra língua pode ser feito de forma leve e divertida, especialmente para que esse processo seja mais interessante para a criança ou para o jovem. A ideia é trazer o idioma para o seu dia a dia, para a rotina da família, fazendo disso algo natural para eles.

E você, sabe como estimular o seu filho a estudar e aprender inglês? Conversamos com a Diretora de Educação Cultural da Teddy Bear, Luciana De Franceschi, para descobrir boas dicas que vão ajudar nesse processo. Confira!

Por que estudar inglês todos os dias?

A grande diferença da prática regular do idioma estrangeiro é realmente aproximar a pessoa daquele universo. Assim, a aprendizagem e aquisição da fluência se tornam cada vez mais naturais.

Quando o estudante tem contato com a língua apenas em sala de aula, isso fica mais limitado, pois há um tempo e um espaço “reservados” para que ele se dedique aos estudos e o aprendizado de um novo idioma pode ser ampliado em casa com a família.

Logo, é importante que os pais incentivem esse contato constante, fazendo com que o inglês faça parte da rotina do seu filho. Nesse sentido, uma grande questão enfrentada em muitas famílias é que nem todos os pais conhecem o idioma, embora queiram que seus descendentes tenham esse tipo de conhecimento.

A verdade é que o domínio da língua inglesa é muito mais orgânico nos dias de hoje do que era há algum tempo. As novas gerações já nascem praticamente familiarizadas com as novas tecnologias e com muitas palavras e expressões em inglês.

Portanto, nada melhor do que estimular essa exposição e a prática da língua. Essa é uma ótima alternativa para tirar o peso do aprendizado (das provas, das boas notas e das dificuldades) para deixá-lo mais prazeroso e espontâneo.

É importante ressaltar que se a criança tem contato desde cedo com o inglês em sua rotina, as chances de ela crescer aprendendo são muito maiores do que simplesmente ter que fazer um curso quando precisar se preparar para o mercado de trabalho, por exemplo.

Como colocar o inglês na rotina de estudos dos filhos?

Depois de saber que o contato com a língua é importante, resta descobrir como colocar isso em prática dentro de casa, não é mesmo? Afinal, o maior desafio está na educação diária dos filhos. Pensando nisso, separamos dicas práticas para facilitar essa missão. Veja!

1. Faça com que o idioma seja parte da rotina em casa

A recomendação número um é que o inglês faça parte do cotidiano familiar. E o que isso quer dizer? Os diálogos não precisam ser todos no idioma estrangeiro, mas algumas palavras ou expressões, e até cumprimentos e gentilezas podem ser aproveitados para gerar essa aproximação.

Acordar o seu filho com um “good morning” talvez soe como algo bobo, mas são essas coisas simples que funcionam como pequenas sementes na cabeça de cada um deles. Outra ideia é ter o hábito de cantar em inglês pelos corredores, o que é capaz de aguçar os sentidos das crianças.

Por outro lado, Luciana recomenda não chamar a atenção dos filhos em inglês para não gerar um contraponto. “É interessante utilizar o idioma só para coisas positivas”, diz ela, e fazer deste contato com o idioma estrangeiro um momento de lazer e diversão com emoções prazerosas.

2. Abuse dos recursos nas horas de lazer

As ferramentas de entretenimento também devem ser aproveitadas. Livros, músicas, filmes, desenhos e séries em inglês ajudam a “familiarizar” os ouvidos da criança. Aos poucos, ela começa a participar desse universo e vai aprendendo sem nem perceber ou ser cobrada por isso.

Para tanto, uma dica é que os pais não apresentem tantas resistências, medos ou preocupações. Mesmo que seu filho seja muito novo para entender o significado das palavras, isso não impede que ele ouça músicas ou assista conteúdos em inglês. O intuito é criar uma familiarização e não um aprendizado forçado.

3. Perceba as tecnologias como aliadas no processo de aprendizado

Da mesma forma, as tecnologias precisam ser utilizadas como instrumento de estudo. Videogames, computadores, tabletssmartphones e tantos outros são fontes de conteúdos inesgotáveis.

A Diretora da Teddy Bear concorda que “os videogames, quando bem direcionados, são excelentes ferramentas de aprendizado da língua estrangeira”.

Nesse caso, existem diversos jogos e aplicativos voltados para o ensino da língua inglesa, sem falar que esse é o idioma considerado universal para as plataformas digitais. Isto é, há espaço para usar a tecnologia ao seu favor e não deixar que ela seja apenas uma distração.

4. Não deixe a responsabilidade apenas para a escola

É claro que colocar os filhos em uma boa escola de inglês colabora e soma muito, o problema é que muitos pais enxergam isso como a única atitude necessária para que eles aprendam. Todos da família podem participar do processo de aprendizagem!

Os resultados são muito melhores quando essa responsabilidade é compartilhada entre o ambiente escolar e o familiar. Tanto a mãe quanto o pai devem fazer parte desse universo, sobretudo, dedicando uma parte do seu tempo para replicar o que já foi aprendido e buscar formas diferentes de praticar o idioma novo em casa.

Como a Escola Teddy Bear pode ajudar?

Se por um lado, o papel dos pais é criar condições favoráveis para que seus filhos cresçam aprendendo inglês na convivência familiar, por outro, eles podem reforçar esse processo apostando em escolas de idiomas diferenciadas e especializadas.

No caso da Escola Teddy Bear, Luciana reforça que o seu maior distintivo é “acreditar que o aluno deve aprender inglês para a vida” — e não só para fazer uma prova ou uma entrevista de emprego no futuro.

Além disso, trata-se de uma escola que proporciona um ensino multidisciplinar, ou seja, que combina a aquisição de competências com o aprendizado da língua. Por exemplo, as aulas de culinária conseguem aliar a extensão do vocabulário com fatores culturais e, ainda, o domínio de uma habilidade relevante (que é saber cozinhar).

Assim acontece com as propostas de plantio, música e artes. O estudante realiza atividades diferentes, prazerosas e significativas. Desse modo, não fica preso na cadeira da sala de aula ou tentando decorar termos e expressões que só acontecem nas páginas de um livro.

storytellingé outro recurso utilizado para estimular o hábito da leitura e também a capacidade de comunicação. Segundo Franceschi, “o gosto pela leitura se dá através do conto de histórias”. Ao final do projeto, o aluno teve a oportunidade de aprender com os conteúdos e, ainda, de ser estimulado a ouvir, compreender e criar, assim como contar histórias.

Enfim, o que mais importa é que esses jovens sejam incentivados a aprender inglês todos os dias. Esse é o melhor caminho para adquirir a proficiência no idioma com o passar do tempo e colher todos os frutos desse conhecimento!

E então, você concorda com tudo isso? Aproveite para começar a praticar as nossas dicas em casa e a entrar em contato com a Escola Teddy Bear agora mesmo para conhecer a nossa metodologia!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *