Afinal de contas, qual a melhor idade para aprender inglês?

Enquanto muitas pessoas defendem o aprendizado de uma segunda língua desde a primeira infância, outras argumentam que isso pode ser um grande desperdício. Então, afinal de contas, qual a melhor idade para aprender inglês?

O quanto antes você puder matricular seu filho em uma escola de idiomas, melhor. São muitas as vantagens que isso pode trazer não só ao aprendizado da língua em si, como também relacionadas a outros aspectos cognitivos. Ao mesmo tempo, algumas crenças com relação ao aprendizado precoce de inglês precisam ser desmistificadas.

Pensando nisso, preparamos este texto em que listamos três mitos e três verdades sobre colocar seu filho para estudar inglês desde cedo. Fique com a gente até o fim para tirar suas dúvidas sobre o tema e boa leitura!

Mitos sobre a melhor idade para aprender inglês

“O meu filho não está preparado e não quero colocar muita pressão nele fazendo-o estudar inglês desde pequeno”. Essas são algumas das principais argumentações de pais e mães que optam por atrasar o contato da criança com uma segunda língua.

A seguir você confere três crenças sobre esse aprendizado precoce que precisam ser reformuladas, uma vez que desmentem essas ideias.

Estudar inglês cedo confunde o aprendizado da língua materna

Você lembra como aprendeu a falar português? Provavelmente não! É por isso que aprender inglês desde cedo não acrescenta nenhuma pressão ou sobrecarga à criança.

Diversas escolas oferecem o Baby Class ou turmas para Toddlers, em que atividades lúdicas e recreativas podem ser propostas para crianças a partir dos dois anos. Por conta da característica da aula, não existe uma cobrança com relação ao aprendizado.

Em contrapartida, a criança já se familiariza com sons e fonemas da língua inglesa, o que facilita o processo de aquisição da língua.

Aprender inglês na infância atrapalha a alfabetização em português

Quando a criança já está um pouco mais crescida, existe o medo que a segunda língua atrapalhe a alfabetização na língua-mãe. Ora, se isso fosse verdade, não existiriam crianças bilíngues.

Acredite: o seu filho está preparado e tem condições, inclusive, de ser alfabetizado em ambas as línguas simultaneamente. Ele não vai confundir os idiomas porque, ao contrário da crença popular, o bilinguismo estimula o cérebro, podendo até mesmo melhorar o desempenho na escola regular.

Começar cedo faz com que a criança esqueça o idioma

Outra preocupação recorrente é a de que a criança possa esquecer o idioma com o passar do tempo, tornando o investimento dos pais um grande desperdício.

Talvez, essa preocupação seja geracional e venha inclusive de experiência própria. Muitos pais passaram por isso: fizeram algumas aulas de inglês na infância, mas hoje em dia seguem longe da desejada fluência.

Isso acontecia especialmente por falta de prática. No mundo globalizado e conectado que vivemos atualmente, as chances de isso acontecer são bem reduzidas, uma vez que temos Netflix, Spotify, smartphones e diversas outras tecnologias que permitem o contato das crianças com pessoas e produções culturais do mundo todo — em inglês ou qualquer outra língua.

Verdades sobre começar a estudar inglês na infância

Ainda tem dúvidas sobre a importância de matricular o seu filho em uma escola de idiomas agora mesmo? Listamos aqui três grandes vantagens que podem fazê-la mudar de opinião agora mesmo. Confira!

É melhor para a fluência

O contato precoce com uma segunda língua aumenta também a familiaridade com ela. Quem estuda inglês desde cedo, ouve música em inglês desde sempre, assiste filmes sem legenda com mais facilidade e também consegue ler na língua sem muitos problemas.

Muitas vezes, o tempo em contato com uma língua pode ser decisivo para a conquista da tão desejada fluência. Para quem ainda tem dúvidas, a fluência é a plena capacidade de se comunicar por escrito e oralmente em uma segunda língua.

Além disso, a pronúncia também é beneficiada. Esse skill está amplamente ligado à capacidade de ouvir em inglês e, novamente, quando o contato com a língua é ampliado, fica mais fácil reproduzir sons e fonemas de forma mais próxima à dos nativos.

Aumenta o vocabulário

Você conhece todas as palavras em português? O que você faz para aprender novos termos na língua nativa? A resposta mais óbvia é: por meio de experiências. Certo? Essa também é a melhor forma de ampliar o vocabulário em inglês.

É por isso que aulas imersivas, que propiciam a prática natural e cotidiana de atividades podem ser muito úteis às crianças. Imagine cozinhar em inglês, cuidar de um jardim em inglês, jogar um jogo de tabuleiro em inglês.

Outra forma bastante útil de aumentar o vocabulário é por meio da leitura. Essa costuma ser, inclusive, a forma mais recomendada para quem decide estudar inglês um pouco mais tarde. Para quem começa desde cedo, até essa prática pode se tornar mais leve e agradável.

Garante melhores chances profissionais

Apenas 3% da população brasileira é fluente em inglês. O domínio completo da língua inglesa pode ser um grande diferencial profissional ao seu filho. Como a fluência requer tempo, nunca é cedo demais para se preocupar com isso.

Outra vantagem é a possibilidade de aplicar para vagas fora do país. Cada vez mais as grandes empresas não medem esforços para captar os melhores talentos às suas vagas e isso inclui contratações internacionais. Sem dúvidas, o inglês na ponta da língua amplia as chances perante a concorrência.

Escolher a escola regular, as atividades extracurriculares e também a escola de idiomas são grandes responsabilidades, que podem ter impacto direto no futuro do seu filho. Pesquise bastante e converse com os profissionais que têm contato direto com a criança. Contar com instituições de confiança e com experiência comprovada no mercado podem fazer toda a diferença — saiba, então, que a Teddy Bear pode ajudar nesse processo!

São muitas as crenças sobre o estudo do inglês na infância. Muitas delas incorretas e datadas. Por conta disso, informe-se antes de tomar decisões precipitadas. Sem dúvidas, você sabe o que é o melhor para o seu filho e isso inclui identificar, também, qual a melhor idade para aprender inglês.

Gostou deste texto? Estamos dispostos a ajudar ainda mais caso ainda tenha dúvidas sobre o tema. Entre em contato agora mesmo com a gente!

Powered by Rock Convert