O futuro é agora: professores da Teddy Bear participam de seminário sobre tecnologia para a educação

“A tecnologia não vai mudar a educação no futuro — ela já mudou!”

Amplifica Bilíngue Rio 2018

Em sua 3ª Edição no Rio de Janeiro, o seminário Amplifica Bilíngue, voltado à tecnologia para a educação, trouxe à discussão assuntos importantes para o cenário educacional contemporâneo. Foram abordados temas como a formação de professores na era digital, o uso de ferramentas tecnológicas no processo de ensino-aprendizagem e o impacto das tecnologias no contexto educacional.

Para continuar fazendo uma educação de qualidade, ainda mais próxima dos alunos e mais conectada, a Teddy Bear enviou 2 de seus educadores culturais ao Amplifica para conhecer o que há de mais interessante no universo da tecnologia e replicar para a rede esta energia pulsante de educadores e líderes educacionais que buscam por movimento e mudança.

Confira o que o Mr. Mendonça e o Mr. Queiroz compartilharam com o Teddy News sobre sua participação no Amplifica Rio 2018.

O que é o Amplifica Bilíngue?

O Amplifica é um seminário que procura trazer tecnologia e práticas de ensino para educadores, gestores, pais e colaboradores em todo o Brasil. Fomos ao evento no Rio de Janeiro e pudemos participar das discussões, ideias e projetos sobre cidadania e habilidades para o século 21, bem como conhecer exemplos bem sucedidos de escolas bilíngues. Este evento apresenta recursos digitais para o setor educacional, reúne educadores de diversas partes do país e oferece palestras e troca de ideias relativas à tecnologia em sala de aula.

Quais os tópicos que vocês consideraram mais relevantes nesta edição?

Fomos ao evento pensando em usos e ferramentas tecnológicas que pudessem ajudar em nossas aulas e que complementassem nossa metodologia. Mas é preciso admitir que é surpreendente a forma com que as nossas práticas e ideias estão em sintonia com o que foi apresentado, e podemos dizer que a Teddy Bear tem se mantido na vanguarda tecnológica.

Além disso, também as possibilidades de troca de informação entre professor e alunos e o compartilhamento de material pedagógico digital entre educadores foram importantes.

Como vocês veem a inserção cada vez maior da tecnologia como ferramenta para a educação?

Duas citações que foram apresentadas durante o Amplifica podem exemplificar este cenário:

“Tudo o que ensinamos deve ser diferente das máquinas.” (Jack Ma, fundador do Alibaba) e “O futuro da Aprendizagem depende não apenas de desenharmos novos modelos instrucionais, mas também novos papéis para educadores” (Christensen Institute).

Com isso, podemos deduzir que a tecnologia não vai mudar a educação no futuro porque isso já é uma realidade – a educação já mudou. Não ensinamos mais o mesmo conteúdo e habilidades para os alunos porque eles vivem em um século que exigirá novos conhecimentos e habilidades. E, para tanto, o papel do educador também não é o mesmo. Não estamos abandonando práticas bem sucedidas, estamos trocando aquelas que já não são úteis. Hoje em dia, nossos alunos produzem conteúdo, compartilham, pesquisam, influenciam e são influenciados – e tudo isso em uma escala global. E a tecnologia é o grande facilitador dessa mudança

A tecnologia é um elemento constante no cotidiano dos alunos, e nada mais adequado do que adaptar as aulas a essa realidade. A digitalização da informação é um fator primordial para as gerações atuais, e portanto, não pode ser deixada de lado.

Na opinião de vocês, por que é importante conduzir atividades pedagógicas dinâmicas que explorem tecnologia?

Primeiramente, para que os alunos sintam que a escola acompanha as mudanças do mundo. O advento da tecnologia também otimiza o processo educacional, acelerando a comunicação e proporcionando o acesso a diversas fontes de informação.

Outro ponto é prepará-los para um mundo também mudado. Por exemplo, sabemos que muitas das profissões que temos hoje serão extintas ou mudarão radicalmente no futuro; enquanto novas profissões serão criadas. Dito isso, devemos lembrar que a tecnologia segue objetivos educacionais e não o contrário: nós usamos tecnologia em aulas de jardinagem e culinária, por exemplo. A tecnologia é uma ferramenta útil em sala e queremos que nossos alunos saibam usar essas ferramentas de forma segura e eficiente.

No contexto educacional, sabemos que é essencial estimular as habilidades intelectuais e despertar o interesse e a curiosidade dos alunos. Quais práticas vocês adotam nas aulas da Teddy Bear para alcançar esses objetivos no ensino da língua inglesa?

Os alunos se sentem mais motivados a conversas quando abordam temas curiosos ou que envolvem opiniões pessoais. O mundo está repleto de assuntos pouco abordados e que geram grande interesse. Fenômenos extraordinários, animais ou outros organismos recém-descobertos estão entre eles. Exploração do espaço, novas tecnologias, ou mistérios históricos que nunca foram resolvidos são outros exemplos. Temas atuais também os cativam, como movimentos sociais, política internacional, tradições que vem mudando com o tempo, costumes estrangeiros, diferenças entre os métodos de ensino. É aí onde eles participam de discussões com mais afinco, mostrando o quanto sabem utilizar o inglês para defender seus argumentos.

Nossa equipe de educadores passa por treinamentos e aprimoramentos constantes e desenvolvemos estratégias para motivar e instigar nossos alunos. Com os nossos young learners, por exemplo, é papel do educador mostrar para eles como o mundo é e que as diversas culturas e influências do mundo nos tornam pessoas melhores – cidadãos do mundo. Já com os adolescentes, procuramos ensiná-los a pensar criticamente, a analisar e saber que devemos questionar e construir saberes juntos. Quanto às práticas, podemos usar desde o letramento visual, que é ler, interpretar e entender a informação apresentada em imagens, como também transformar suas próprias ideias em imagens, gráficos ou formas que ajudem a comunicação.

Tecnologia é fator indispensável para os global learners? Por quê?

Sim, porque a tecnologia é o grande elo entre as pessoas no mundo globalizado, permitindo que informação de qualquer parte do mundo esteja acessível a qualquer momento. Ao explorar a tecnologia da informação em aula, reforçamos a ideia de que os alunos pertencem a esta comunidade global e fornecemos as práticas para que eles realmente façam uso desse acesso à informação.

A própria globalização é um processo que foi impulsionado pelas tecnologias. O mundo estava em nossas portas, agora está na ponta dos nossos dedos. Os nossos jovens assistem vídeos em inglês produzidos por coreanos, espanhóis, russos e podem se comunicar com todo o mundo com facilidade. Estamos construindo com eles como se comportar e interagir nesse mundo, de maneira segura, consciente e respeitosa.

Confira alguns momentos abaixo.

Quer fazer parte do nosso time? Envie seu currículo.

Powered by Rock Convert