Quais as principais diferenças entre curso e escola de inglês?

 

 

Você sabia que há diferença entre curso e escola de inglês? Muitas pessoas que buscam pela formação em um novo idioma não têm conhecimento do tamanho da diferença entre um curso tradicional e uma escola de inglês.

Optar por uma escola de inglês permite a imersão no aprendizado de uma segunda língua e a valorização de experiências socioculturais, especialmente quando a decisão envolve o aprendizado de uma criança ainda no início de sua formação escolar.

Neste artigo, apresentamos as diferenças entre curso e escola de inglês. Falaremos também sobre como cada opção trabalha a formação do estudante e se é priorizada a aproximação com a cultura estrangeira estudada, o que facilita o entendimento da língua a partir de situações práticas e cotidianas.

As diferenças entre as duas formas de ensino ocorrem porque cada uma leva em conta determinada metodologia, tem cargas horárias distintas e a formação dos professores também é diferenciada, entre outras questões. Interessou-se pelo tema e quer saber como escolher a melhor opção para aprender inglês? Siga conosco e aprenda mais sobre esse universo!

Metodologias e estruturas de ensino

Atualmente, ter uma segunda língua, como o idioma inglês, é fundamental para se obter sucesso, ter um diferencial em processos seletivos e seguir uma carreira com futuro promissor. Pessoas bilíngues estão mais preparadas para o mercado de trabalho do que quem tem fluência em apenas um idioma, além disso adquirem uma formação cultural mais rica, que as tornam aptas a transformações e novas perspectivas compreendendo com mais facilidade as várias situações de comunicação global.

A metodologia é um dos pontos de diferença entre o curso e a escola de inglês. Enquanto o primeiro foca em aulas com tradução de palavras, ensino de gramática e repetição sem contexto definido, a segunda opção valoriza as experiências, permitindo que o aluno internalize o conteúdo com atividades culturais e lúdicas e inseridas em um contexto autêntico e significativo.

É devido a essa metodologia tradicional que, muitas vezes, os estudantes passam anos fazendo inglês, mas não conseguem uma proficiência adequada no momento de usar o idioma na prática. Isso pode ocorrer em uma viagem, por exemplo, apesar da grande experiência acumulada em horas-aula.

Material didático

O material didático também é diferente. Os cursos promovem aulas utilizando materiais didáticos mundialmente reconhecidos, porém não personalizam suas aulas. Outros cursos desenvolvem suas próprias apostilas com extensas partes teóricas, sendo que a prioridade é a memorização do vocabulário e de regras gramaticais — o que, comprovadamente, já não é eficiente como forma de ensino.

Formação e valorização do estudante enquanto pessoas globais

As escolas de inglês se preocupam muito mais com a forma como o ensino ocorre do que um curso tradicional. Isso porque se trabalha na formação do estudante também como cidadão, pensando em valores da sociedade e diferenças culturais.

Portanto, no momento de escolher uma instituição, é muito importante pensar em locais que façam o aluno ter acesso às informações culturais do país onde a língua é usada e até à linguagem não formal, que inclui gírias e expressões.

As escolas de inglês também podem (e devem!) dar destaque ao ensino das habilidades sobre o mundo, do respeito ao próximo, da autonomia e da independência. Isso é possível porque, nas atividades extraclasse (que estão no foco do ensino), há uma socialização entre os estudantes, com diálogos e práticas contínuas da segunda língua.

O processo educacional do aluno começa no ambiente familiar e se amplia na instituição escolar. É por isso que o papel dos pais no reforço do conhecimento visto na sala de aula é imprescindível.

A aprendizagem precisa se voltar à plena percepção de uma conexão global. Isso demonstra a necessidade de o estudante aprender e entender os encantos das palavras, a cada frase compreendida, os segredos de uma nova cultura e os hábitos de uma sociedade.

Aulas interativas e lúdicas

As aulas também são planejadas para que sejam colaborativas e compartilhadas. Assim, é possível ensinar muito mais do que palavras em outro idioma: são dados exemplos de como agir em determinadas situações.

O uso de ambientes especiais, recursos multimídia, utensílios e atividades familiares no dia a dia dos alunos, de acordo com suas respectivas idades, também é um diferencial das escolas de inglês.

Por isso, há instituições que propõem aulas divertidas, como ensinar a cozinhar, a cuidar de um jardim e a praticar esportes. O objetivo é sempre o de abrir a mente dos alunos para novas formas de aprender e, ao mesmo tempo, se divertir.

Ensino infantil

No caso do ensino infantil, as escolas de inglês instruem o aprendizado do idioma de forma natural, por meio da exposição e da interação com o ambiente no qual a criança está inserida. O processo pode se desenvolver em diferentes situações, como viagens, no contato com outro estrangeiro, ao assistir filmes e séries, ler livros em outra língua, ouvir música etc.

Isso permite um aprendizado crescente e permanente, evitando que o aluno fique estagnado ou até desanimado com a aula. Estudos já identificaram que há uma maior facilidade em adquirir conhecimento na infância.

Aprendizado natural

Apesar da pressão da sociedade pelo aprendizado de um novo idioma, o estudante não deve pensar nisso como uma obrigação. Aprender inglês precisa fazer parte da rotina e do desejo de aprender. Por isso, materiais e programas pedagógicos necessitam ser únicos, levando em conta idades, personalidades, níveis de aprendizado e gosto pela atividade.

Como vimos, mais do que ensinar um segundo idioma, as escolas de inglês precisam ter como missão formar alunos não só fluentes em outra língua, mas com valores e vivências culturais significativas para torná-los pessoas preparadas para se comunicar com um mundo cada vez mais conectado.

Agora que você já sabe qual é a diferença entre curso e escola de inglês, entre em contato conosco e conheça mais sobre uma metodologia que objetiva despertar em crianças e adolescentes o desejo de aprender a língua inglesa!

 

banner-rodapé-blog-ebook-diferencas-no-ensino-ingles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *