Aprendizado do Inglês na Infância | Quanto mais cedo, melhor!

Uma das dúvidas mais comuns dos pais é quando e como iniciar o aprendizado dos filhos em uma língua estrangeira. Afinal, existem diversas opiniões e informações a respeito do aprendizado do inglês na infância.

No entanto, como saber o que é verdade e o que não devemos levar em consideração ao analisar essas informações? Você confere agora, no blog da Teddy Bear, o que é verdade sobre o aprendizado do inglês na infância e quando iniciar esse processo!

Aprendizado do inglês na infância

Durante o primeiro ano de vida, a criança é capaz de reproduzir com perfeição qualquer som de qualquer língua do mundo.

A partir daí, esta capacidade vai gradativamente diminuindo, até que ela produza com facilidade apenas os sons da língua ou das línguas com as quais convive.

Até o início do século XX, acreditava-se que a criança não deveria começar a aprender uma segunda língua antes de dominar bem a primeira. Mas os estudos sobre a neurociência mudaram este ponto de vista.

Hoje as pesquisas são enfáticas: Quanto mais cedo a criança for exposta ao convívio com mais de um idioma, melhor.

Mais fluente ela será, sua pronúncia será mais perfeita, seu discurso mais articulado, sua naturalidade e facilidade para circular por diversos assuntos será maior.

aprendizado do inglês na infância

Facilidade de aprendizado do idioma de acordo com a idade

As pesquisas mais recentes também apontam que a facilidade de aprendizado muda de forma bastante visível ao longo dos anos. Explicamos os momentos onde essa mudança é mais visível. Confira:

No primeiro mês de vida

Os bebês desenvolvem até três bilhões de conexões sinápticas por segundo. Tudo o que ele ouve, vê, sente, experimenta e toca é aprendizagem.

Nos primeiros seis meses de vida

Neste período, o bebê é capaz de produzir qualquer som de qualquer língua do mundo. Depois, esta capacidade vai se atrofiando cada vez mais, até que ele produza naturalmente apenas os sons das línguas com as quais convive. Produzir sons novos mais tarde vai demandar mais esforço, e a qualidade dos sons também tende a não ser tão precisa.

Dos seis aos oito meses de vida

Aqui o bebê já reconhece grande parte do que é dito para ele nas suas interações do dia a dia. O cérebro já possui muitos trilhões de conexões sinápticas.

De 1 a 3 anos de idade

Este também é o período principal de aquisição de linguagem, que é, segundo todos os estudos da neurociência, a mais complexa das aprendizagens ao longo da vida.

É preciso saber estimular este período tão rico em aprendizagens. Como contribuir para que as crianças desenvolvam mais a oralidade e a compreensão do mundo por meio das linguagens?

Um ambiente escolar rico em cores, objetos de tamanhos, texturas, formatos diferentes contribui para o desenvolvimento das crianças.

Aos quatro e cinco anos de idade

Aqui as crianças já possuem maior entendimento de si mesmas e do outro. Já sabem reconhecer o que pertence a elas e o que pertence ao outro.

A escola é um espaço importante para este momento de socialização da criança.

Após os 10 anos de idade

É a partir daí que as aprendizagens se tornam menos naturais e mais acadêmicas. Na aprendizagem de línguas estrangeiras, a produção de sons é menos natural.

É então que a vergonha do erro começa a se manifestar, gerando insegurança de falar na presença do outro, a preocupação com o falar e escrever corretamente vai se manifestando aos poucos.

Quer saber mais sobre a importância do aprendizado da língua estrangeira na infância? A Teddy Bear elaborou um e-book detalhado para você  entender a importância da aprendizagem de línguas nos primeiros anos de infância. Confira!

banner-rodapé-blog-ebook-diferencas-no-ensino-ingles